Logo

Busque por notícias em:
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011

Notícias

  • ETE inaugura Usina Solar Pe. Furusawa

    Um dos principais desafios do homem está na preservação do planeta e dos seus recursos naturais. De acordo com a World Meteorological Organization (WMO), o ano de 2016 bateu recorde na emissão mundial de dióxido de carbono (CO2), o nível mais alto dos últimos 800 mil anos: 403,3 partes por milhão.

    O dado é alarmante e coloca em cheque o futuro das próximas gerações e aponta a urgência por medidas sustentáveis, que protejam e cuidem do planeta, objetivos que a Companhia de Jesus possui como uma de suas missões.

    Durante a 36ª Congregação Geral, realizada pela Companhia de Jesus, em Roma, foi reforçada a importância do cuidado com o Planeta Terra, a vida, a reconciliação das pessoas consigo mesmas, com outras pessoas, com o Universo e com Criador.

    Com este objetivo, de assistir a nossa Casa Comum (Terra), a ETE FMC irá abrigar a Usina Padre Furusawa, com inauguração dia 23 de junho de 2018.

    Além da ETE, o Colégio Loyola e o Colégio dos Jesuítas, também integrantes da Rede Jesuíta de Educação, e a instituição Jesuítas Brasil, são responsáveis pelo projeto.

    Em 15 mil m², a usina de energia fotovoltaica (solar), contará com uma estrutura de 4.200 painéis solares e terá a potência de 1,113MWp / 1,5 Gwh/ano.

    Isso tudo quer dizer que ela será capaz de garantir energia para todos os colégios da RJE em Minas Gerais, o que equivale ao consumo diário de 860 casas, de acordo com a média brasileira.

    Além disso, a usina também ajudará a reduzir a emissão de 582 toneladas de CO2 por ano. Essa não emissão, equivale ao plantio de 5 mil árvores.

    Em toda a região este é um dos maiores projetos em Usina Solar e de sustentabilidade já criado e que deve se tornar um exemplo para novas iniciativas de cuidado com o meio ambiente.

     

    Rede Jesuíta de Educação

    A Rede Jesuíta de Educação é responsável no Brasil por 17 centros de aprendizagem, com a soma de aproximadamente 31 mil alunos e 2 mil educadores, além de manter seis faculdades e universidades. A Rede também atua na área da Educação Popular, por meio de iniciativas como o Centro Santa Fé, Projeto OCA (Oficinas Culturais Anchieta), CAC (Centro Alternativo de Cultura) e Fundação Fé e Alegria, presente em 14 estados e atendendo mais de 10 mil crianças e adolescentes.

     

    Padre Furusawa

    O homem que dá nome a usina é José Motoyasu Furusawa, nascido em 21 de setembro de 1920, na cidade de Kuiamoto, no sul do Japão. Chegou ao Brasil aos nove anos de idade com a sua família, depois de uma viagem de navio que durou 40 dias. Antes de se mudarem para a capital paulista, estabeleceram-se em uma cidade do interior chamada Segunda Aliança, localizada na divisa com o Mato Grosso, local em que o Padre Furusawa trabalhou com agricultura por seis anos. Seu ingresso na Companhia de Jesus ocorreu no ano de 1940 e 10 anos depois foi ordenado na Espanha. Chegou à Santa Rita do Sapucaí em maio de 1963 e lecionou Eletrotécnica e Eletricidade na Escola Técnica de Eletrônica da cidade até 1991.

    Conhecido carinhosamente como Padre Furu, foi o responsável por toda instalação elétrica dos atuais prédios da ETE FMC e criador do sistema de aquecimento solar dos antigos alojamentos, que atualmente funcionam na Casa Nossa Senhora da Paz. Também desenvolveu o método de construção de transformadores, muito usado nas indústrias locais. Preocupado com as questões de saúde e meio ambiente, sempre utilizou a bicicleta como meio de transporte, uma marca registrada do padre.

    Com a sua genialidade, ele foi o responsável por transformar sucata em equipamentos para as aulas no início da construção da escola. Naquela época, os laboratórios foram equipados com aparelhos velhos e quebrados, doados pela Marinha de Guerra do Brasil, do leste Europeu e da Alemanha, que traziam caminhões carregados com sucatas. Os alunos, orientados pelo Padre Furusawa, reformavam os materiais e os transformavam nos equipamentos utilizados em sala de aula.

    Em 50 anos de dedicação à Escola Técnica de Eletrônica Francisco Moreira da Costa, Furusawa possui um legado de ações, com plantas elétricas da ETE ainda com a sua letra e cálculos, agenda com anotações, o trem eletromagnético e muitos outros projetos desenvolvidos por ele.